Os tempos mudaram... A forma de fazer negócios também.

Eu sei e você sabe, é evidente. E ao afirmar isso, não estamos falando apenas da pandemia, mas das mudanças dos últimos 30 anos.


Transformaram-se nossos desejos, que antes eram manifestados na vontade de ter, e agora se manifestam na vontade de experimentar. Tomamos consciência da importância de cuidar do ambiente em que habitamos, o que inclui desde a percepção de que não se pode ser feliz sozinho até a responsabilidade para com a natureza. Substituímos a importância do acesso ao conhecimento para a aplicação do conhecimento. Trocamos os meios nos quais adquirimos informação, antes marcados pela TV aberta, jornais e revistas impressos, e hoje dominados pelas edições online.


Por falar em online, quanto tempo você já ficou no celular hoje? Já parou para pensar o quanto a internet revolucionou nossa forma de vida? Pois bem, é impossível não falar do impacto do celular no mundo dos negócios. Este tão pequeno objeto tem embaralhado as cartas e provocado aflições nos diretores de marketing, que não sabem mais como comprar nossa atenção. Em agosto de 2019, por exemplo, a gigante empresa norte-americana, Estée Lauder, anunciou que 75% do orçamento destinado ao marketing seria investido em influenciadores digitais e mídias sociais.


Pois bem, esse é o futuro. As grandes companhias, marcas e empresas já entenderam que o resultado não é o mesmo ao investir em propagandas de TV aberta, de jornais e revistas impressos. Qual o sentido de pagar por um anúncio na rádio se agora o que as pessoas ouvem são podcasts? Ainda, de que vale um enorme outdoor na Avenida Paulista se enquanto fazem seu deslocamento, as pessoas estão vidradas nas telas de seus celulares? É fato: uma boa influenciadora digital vende mais do que uma capa de revista!



A boa notícia é que da mesma forma que consumimos conteúdo pelo celular, podemos também produzir conteúdo pelo celular, gerar atenção e lucrar com isso. Com 0 de dinheiro, com o tempo que se tem disponível e com o assunto que você desejar, a oportunidade está aí! Como diz Alvaro Schocair, que marca presença nas redes através do @alemdafacul, “a internet hoje é uma Avenida Paulista de 80 anos atrás, a 5ª Avenida de Nova York há 80 anos: é tudo mato!”.


E se tudo é mato, o que estamos esperando para começar a desbravar? O novo modelo de negócio, o de audiência, encara a maneira de fazer negócios como colaborativa (e sejamos sinceros: colaboração nunca esteve tão em alta quanto em tempos de pandemia!). A grande sacada está em conquistar atenção para depois monetizá-la.


Como fazer isso? Gerando conteúdo! Escolha agora mesmo um tema de seu interesse e abra uma conta no Instagram. Depois disso, passe a falar sobre esse assunto diariamente. Quando conseguir atenção e engajamento, você estará apto a monetizar seu negócio a partir de um produto ou serviço, afinal as pessoas já confiam em você quando se tratando de assunto X. Não só as pessoas confiarão em você, como as marcas do segmento, que, como já falamos, tendem a investir muito mais em marketing digital nos próximos anos. Por que não ser você a lucrar com isso?


Quem sabe não temos aqui como leitor o próximo influencer! Pense fora da caixa! Inove! Tem muito espaço potencial na era digital, preencha-o!

28 visualizações