Modelagem de Negócios: implementando Business Model Canvas

1- O que é modelagem de negócios

2- O que é e como desenvolver um valor diferenciado

3- Como o Business Model Canvas pode ser auxiliar na criação de um modelo de negócios

4- Validando um modelo de negócio criado no Business Model canvas

5- Concluindo.





1 - O que é modelagem de negócios

No mundo atual, é muito comum empresas surgirem de diversas formas, seja de uma simples ideia repentina no banho ou até mesmo em uma reunião formal por empreendedores. Porém o que determinará se esses negócios sairão do papel e alcancem seus objetivos, é o seu modelo de negócio e como esse foi estruturalmente planejado.


Um modelo de negócio é a forma detalhada de todos os processos que uma empresa terá que desenvolver para criar e entregar um valor para o seu público em geral. Esse trabalho tem como objetivo a organização de funções e garantir o aumento tanto da produtividade quanto da qualidade do produto.


Um dos fatores que torna a modelagem de negócios um recurso muito valioso para o desenvolvimento empresarial nos dias de hoje, é a sua grande adaptabilidade às oscilações de ideais e do próprio mercado em si.


Um modelo de negócio bem planejado pode ser alterado facilmente sem quebrar toda a cadeia de relações, ações de testes de produto como o MVP (Produto Minimamente Viável) ajudam a empresa a tomar rumos e decisões que podem impactar diretamente o modelo de negócio. Exemplificando, com a pandemia, centenas de empresas que seguiam um modelo de negócio com base presencial tiveram que se adaptar com o online, contudo ainda mantendo grande parte de sua modelagem primária.




2 – O que é e como desenvolver um valor diferenciado


Primeiramente, cabe ressaltar o que é um valor e como isso irá influenciar toda a cadeia da modelagem de negócio. Um valor nada mais é que o produto em si que sua empresa vai ofertar, podendo ser ele uma caneca de café ou até um aplicativo gratuito de conversas. O que afetará o seu valor é o quanto ele será diferenciado.


Um dos fundamentos mais importantes para se criar um produto diferenciado surge da identificação de um problema não resolvido no mercado, nisso o valor desenvolvido com base nesse revés surgiria como a solução para essa brecha. Porém, existem outros inúmeros fatores para a criação de um valor diferenciado, algumas delas serão exemplificadas a seguir.


  • Privilégio de ser/ter primeiro: No contexto atual de imediação, empresas que invistam na emoção de ter um produto diferenciado contribuem para a sua comercialização. Por exemplo, para o público é melhor experimentar um novo celular da Apple no seu lançamento do que posteriormente.


  • Ser fácil manuseio e com suporte: Um diferencial que seu valor tem que possuir é que ele seja simples, para que a maioria das pessoas sintam-se confortáveis com ele. Com isso, a necessidade de um suporte por parte da empresa se torna um recurso inestimável.


  • Identificação e personalização: O valor não pode ser mais um produto comum que todo mundo tem, ele deve transmitir uma identificação própria para pessoa que o possui, algo que traga um sentimento de privilégio por possuir o produto.




3 – Como o Business Model Canvas pode auxiliar na criação de um modelo de negócios


O Business Model Canvas (BMC) é um painel que utiliza conceitos da área de design thinking para representar graficamente todos os setores que englobam um modelo de negócio de uma empresa. Com base na adaptabilidade já citada acerca da modelagem de negócios, o BMC ainda permite a visualização completa das alterações no decorrer do processo.


O conceito de BMC foi criado pelo suíço Alexander Osterwalder como instrumento para a criação de planos de negócios, com uma abordagem colaborativa para a elaboração de ideias através de textos em forma de anotações espalhadas pelos espaços.





O Business Model Canvas é popularmente dividido em nove seções chaves que se relacionam entre si, e que também, geralmente, seguem uma ordem na sua construção.


São elas: Segmentos de clientes; Proposta de valor; Canais; Relacionamento com o cliente; Receitas; Recursos principais; Atividades-chaves; Parceiros; Estrutura dos custos.



O exemplo abaixo tem como inspiração o modelo de negócio criado pelo uber, e pode servir como exemplificação de um business model canvas.

Modelo criado usando como referência o canvas ensinado no curso de modelagem da DIO : https://web.digitalinnovation.one/course/modelagem-de-negocios/



  1. Segmentos de clientes : Essa parte do BMC envolve qual o público prioritário do seu modelo e a quem o problema/dor será resolvido com o valor proposto.

  2. Proposta de valor: Aqui estará a parte de seu produto e como esse impactará a vida do seu cliente.

  3. Canais: Meio em que o valor será entregue ao cliente, também atinge a área de comunicação e marketing.

  4. Relação com o cliente: Parte de atendimento aos problemas e dúvidas que o cliente obteve ao usar o produto. Essa área tem como objetivo ganhar a fidelidade do cliente.

  5. Receitas: Nesta seção estará como o negócio irá obter seus lucros, seja por meio da venda do valor em si ou com anúncios de publicidade.

  6. Recursos: São elementos principais para a empresa operar normalmente.

  7. Atividades-chaves: Parte focada nas atividades que o empreendimento vai exercer diariamente.

  8. Parcerias: Empresas/Pessoas que se identificam com o valor do negócio e podem contribuir para o seu empreendimento.

  9. Estrutura dos custos: Por fim, estará o quanto o seu negócio gastará para operar e considerará todos os gastos que a empresa gerar.


No mercado existem inúmeros sites que auxiliam na criação gratuita de um business model canvas como por exemplo o Strategyzer, site onde foi criado o modelo acima.




4 – Validando um modelo de negócio criado no Business Model Canvas



Após a criação do BMC existem algumas perguntas chaves que devem ser respondidas para validar a estrutura do modelo produzido. Também, é interessante que depois desse passo já se comece a pensar na área de realização de testes do modelo de negócio em si.


Primeiramente,cabe perguntar “O seu valor atende as necessidades dos clientes?”. Esse questionamento primordial valida as duas primeiras seções do BMC e permite uma compreensão acerca do início do modelo. Usando o Business model canvas inspirado na Uber, a proposta de um aplicativo inovador que conecta motoristas e passageiros soluciona uma dor desse segmento, e se encaixa perfeitamente como resposta à pergunta.


Logo, chegamos em uma parte que envolve a comunicação de seu valor, a questão a ser respondida é “Os canais e o relacionamento com o cliente permitem condições de entregar a proposta do seu valor?”. Para essa pergunta, verificaremos se as seções 3 e 4 estão de acordo com nossa ideia. No modelo exemplificado, pode-se notar que a Uber investe muito em suas mídias sociais para prover e mostrar que seu produto transmite qualidade, além de proporcionar um atendimento especializado que abrange tanto o passageiro quanto o motorista, muitas vezes solucionando problemas entre esses.


Agora, abrangendo uma parte mais externa, vale ressaltar “Como os parceiros podem complementar as atividades do seu projeto?”.Isso já nos leva a analisar a 7° e 8° seções do Business Model canvas. No exemplo do Canvas acima, a Uber possui uma parceria com o serviço de geolocalização google maps, onde as empresas conseguem contribuir entre si e fornecer um serviço simplificado para o usuário.


Finalmente, é analisado se “A receita total será capaz de cobrir os gastos e ainda gerar lucros”. Por fim, as seções de número 5,6 e 9 serão verificadas em nosso modelo. Com isso, vamos olhar a disponibilidade de recursos para o início do modelo e verificar se todos os gastos com o processo poderão ser recuperados com o andamento do empreendimento. No BMC inspirado no uber, é notável que para o processo ser iniciado haveria a necessidade do aplicativo possuir motoristas para exercer a atividade, e que esse processo pudesse retornar os gastos investidos no empreendimento.


Pronto, com todas essas questões respondidas cabe a por nosso modelo de negócio à um teste prático para sua validação. Nesse caso, umas das ideias mais famosas nessa área é MVP(Produto minimamente viável).


O MVP consiste em uma espécie de teste que levará o seu valor criado para uma parcela muito seleta de seu público alvo, porém esse produto deve ser a versão mais minimalista e simples possível. Com esse exemplo de teste, já é possível que sua empresa faça análises acerca do produto, verificando se ele se encaixa nas parcelas esperadas do mercado e cumpre realmente sua função inicial. O MVP vai agir como um diagnóstico final e vai auxiliar em possíveis mudanças no seu modelo de negócio.




5 – Conclusão



Assim, conforme mostrado no artigo, o desenvolvimento de um modelo de negócio e de seu respectivo valor são tarefas complexas, porém com um amplo grau de possibilidades.


Hoje, o mercado se encontra cada vez mais com necessidades de soluções para seus problemas, e negócios estão toda hora surgindo para solucioná-los.


Contudo, nem sempre esses empreendimentos são totalmente planejados de forma bem estruturada e com o tempo falhas vêm surgindo. Então, a modelagem de negócios vem tomando cada vez mais espaços de criação, pois consegue prevenir alguns dos problemas resultantes acima.


Portanto, a arte de criar um modelo deve ser expandida constantemente, pois, além de ajudar empreendedores iniciantes a perceber os problemas e dificuldades do mercado, acaba desenvolvendo a parte criativa de quem o faz, e novos negócios inovadores podem acabar surgindo a qualquer instante.


Escrito e revisado por: Felipe Colpo Bagesteiro

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo