Localiza: boom e vroom em meio aos choques do petróleo

Por que comprar um carro quando você pode alugá-lo quando precisar? Essa ideia já é velha, e o modelo de negócio é ainda mais necessário em tempos de crise.


O ano era 1973.


No mundo, o segundo choque do petróleo, ocasionado pelo embargo às nações aliadas de Israel na Guerra do Yom Kipur, mais do que quadruplicava o valor do barril do petróleo em meio ano, atingindo o mundo inteiro em uma época onde pouco se falava em gestão energética do consumo.


Em Belo Horizonte, José Salim Mattar Junior iniciava um negócio de aluguel de carros com seis Fuscas, numa época em que não era aconselhado investimento em automóveis, por conta da explosão do preço dos combustíveis.

De início, a estratégia adotada foi a de continuar oferecendo um bom serviço, em uma época na qual automóveis se viam em dificuldade de saída no mercado pelo custo de manutenção.


Curiosidade: em 1975, o Brasil começou a implementar um grande projeto tecnológico: o Proálcool, que misturava gasolina e etanol para maior rentabilidade do combustível.


Novamente, em 1979, com a segunda crise do petróleo no Oriente Médio, o empresário, ao invés de segurar o capital e se proteger, expandiu o negócio para Vitória, para em seguida chegar às cidades do Nordeste, tornando-se líder no mercado de aluguel de carros no Brasil.


A estratégia adotada para a expansão foi a de aquisição de pequenos concorrentes, locadoras de carros locais que, além de já possuírem as bases operacionais e a frota, garantiam o cadastro dos antigos clientes.


A história da Localiza mostra a capacidade de um empreendedor que tem uma visão a longo prazo.

Do final da década de 80 para cá, a Localiza continuou inovando. Primeiro em 1984, quando adotara a estratégia de franchising como resposta à crise da dívida externa, resultando no fortalecimento da marca e oportunizando a ampliação da presença da mesma no mercado, incluindo a internacionalização já no início da década de 90, ampliando para mais 6 países da América Latina.


Além do aluguel de carros, a Localiza também adotou algumas medidas para ampliar seus negócios e garantir a manutenção da renda. Ainda em 1990, passou a vender seus carros seminovos para reduzir seus custos de depreciação e gerar receita para a renovação de sua frota de aluguel. Já em 1999, de forma pioneira no Brasil, gerou uma nova divisão de negócios, especializada no aluguel, gerenciamento e terceirização de frotas, hoje denominada Localiza Gestão de Frotas.


Considerada atualmente a maior locadora de automóveis da América Latina, a empresa hoje tem ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo desde 2005, e está presente em mais de 350 cidades de 6 países. O valor atual da Localiza ultrapassa os R$ 15 bi – nada mal para um negócio que começou com apenas 6 fuscas, não é mesmo?

18 visualizações