Doce D'ocê: a multiplicação dos pãezinhos


A Doce D’ocê poderia ter sido apenas mais uma padaria na cidade de Chopinzinho, mas não. O espírito empreendedor de Noeli Bazanella a levaram a construir o que é hoje uma das maiores empresas no ramo de alimentos no país, e essa história de sucesso, que ela e seu marido já haviam compartilhado no Day 1 2017 da Endeavor, ela compartilhou no Outliers, no último dia 5 de maio.



A gente n começou do zero, mas muito abaixo dele.

Recém mudados do Rio Grande do Sul, o casal passou por tempos difíceis quando chegou ao Paraná. A primeira coisa que fizeram, no entanto, foi pagar as dívidas: “nós quebramos, mas nunca perdemos o crédito. Ele é muito mais valioso que o dinheiro, pois ele é sua índole”, destaca Noeli. Com a situação controlada, ela pode se dedicar à culinária, sua paixão.

Ainda nos anos 90, Noeli fez um empréstimo e comprou seu primeiro freezer. Logo depois, contratou a primeira funcionária, que até hoje trabalha na empresa. Assim, o negócio começou a funcionar, com os produtos sendo comercializados entre os vizinhos e nas ruas da cidade. Em 1997, a panificadora Doce D’ocê foi inaugurada na Avenida Central de Chopinzinho.

E a história não parou por aí:

Em 2003, após uma viagem para a Eurpoa, Noeli começou a investir em um novo conceito de panificação e confeitaria, importando equipamentos de ultracongelamento. Dessa forma, as receitas e os sabores da Doce D’ocê passaram a ser produzidos em grande escala, com rigorosos métodos de controle de temperatura e tecnologia avançada.

A inovação possibilitou a empresa cruzar as barreiras regionais e se transformar na maior indústria de panificação ultracongelada do Paraná, conquistando, também, o mercado nos estados de Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Minas Gerais. No seu catálogo: bolos, tortas, docinhos, pães, e salgados.

Hoje, a Doce faz parte do Instituto Empreender Endeavor, uma organização que identifica e viabiliza a continuidade dos negócios de empreendedores com alto potencial de crescimento. Não é a toa que, em 2017, quando o setor cresceu apenas 3%, a empresa teve um crescimento de 19%.

Ver as pessoas felizes e se deliciando com aquilo que estamos fazendo.

Pessoas apaixonadas pelo que fazem. A Doce aliou pessoas que amam comer, a pessoas que amam cozinhar, et voilá: temos uma empresa que alia a culinária a tecnologia, de modo a entregar produtos de qualidade e superar as expectativas, e é  importante que essa receita seja passada de geração em geração.

Quando começou o negócio, a busca por informação e capacitação preparam a massa do que seria uma receita de sucesso. A Doce investe nos seus funcionários, no seu time, para que o resultado de seu trabalho gere produtos da melhor qualidade, tanto para a empresa, quanto para a sociedade na qual está inserida, a qual a empresa tem a responsabilidade de transformar.

É com essa visão que a Doce caminha, hoje, em direção ao seu sonho de se transformar na maior e mais completa indústria de panificação e confeitaria ultracongelada do Brasil, reconhecida pelo modelo de gestão e pela qualidade dos produtos.

A receita para fazer o mesmo?


Não coma o pão da preguiça.

Transforme seus sonhos em objetivos, e tome a iniciativa de ir atrás deles, trabalhando com humildade, comprometimento e ética.

36 visualizações