Contabilidade & Finanças: um mini guia para o seu negócio

Atualizado: Set 19

Que a empresa precisa trazer retorno financeiro, todo mundo sabe.

Será?

Dados do Sebrae mostram que 7% empresas fecham por falta de lucro e 20%por falta de capital, além disso, quase 50% dos empresários não sabem se têm lucro ou prejuízo. Essa realidade mostra que, para a sobrevivência dos negócios, a atenção do empreendedor precisa estar focada nos números do seu negócio.


E é aí que entram os processos contábeis, para analisar e avaliar a viabilidade da organização dentro de diferentes cenários, dando ao gestor as informações que necessita para tomar decisões, seja investir em ativos ou cortar gastos. Mas não é só de números que falamos, pois a contabilidade é essencial para que a companhia mantenha seus processos burocráticos alinhados para obter economia e evitar problemas legais.


Ok. Estamos na mesma página, mas e na prática, o que fazer? Então vamos para as dicas.


Dica 1 – Uma coisa é uma coisa


E outra coisa é outra coisa.


Pequenas e médias empresas muitas vezes misturaram as contas empresariais com as pessoais, o que é um grande erro, pois dificulta a visibilidade do lucro real e o que está realmente sendo gerado. Essas informações são muito importantes para quando o empreendedor quer um empréstimo, por exemplo, já que não será capaz de calcular se o caixa pode pagar os juros que gostaria de obter.


Dica 2 – Qualquer lugar é bom se você não sabe para onde está indo


Os objetivos definem aonde você quer chegar e a qual velocidade, de acordo com suas projeções do negócio e as metas vão fazer o acompanhamento de se você está mesmo indo para lá. Assim, será de impacto para o negócio ter em mente as prioridades a se considerar e incluir quitação de investimentos, metas de aumento de receitas e metas de expansão da empresa para o futuro.


Dica 3 – Aprenda o básico


Iremos te ajudar.


  • GASTOS: Não adianta se preocupar apenas com os grandes gastos, como aluguel, impostos e salários. As despesas rotineiras, como água, material de escritório, internet, produtos de limpeza e manutenção precisam ser controladas também. Comece separando os seus custos fixos, que não variam apesar da atividade da empresa, dos seus custos variáveis, como compras de reposição de estoque. Separe tudo.


  • FLUXO DE CAIXA: Uma forma de controlar as despesas é acompanhar a entrada e a saída de dinheiro, o fluxo de caixa. Ele dá uma visão geral das movimentações financeiras do empreendimento e permite contabilizar os ganhos.


  • CAPITAL DE GIRO: Basicamente, é o valor que a empresa precisa para funcionar. Capital de giro é o recurso para pagar as contas, repor estoque e comprar matérias primas, ou seja, este valor nunca deve ficar negativo e é um dos principais pontos de atenção para saúde financeira do negócio.


  • ORÇAMENTO: Um bom planejamento, com objetivos e metas, só estará completo com um orçamento financeiro para aquele período, que faça a previsão de receitas, investimentos e despesas futuras para a administração do negócio. Sem um orçamento bem feito, dificilmente o gestor tomará decisões condizentes com a realidade da empresa. Mas lembre-se que ele é maleável, já que é possível obter recursos de outras fontes ou, em casos inesperados, haja uma crise. Ou seja, reexaminar o orçamento faz parte do planejamento.


  • PRECIFICAÇÃO: A fórmula é simples, a soma dos custos, despesas e lucro gerará o preço. O custo é gasto para transformar a matéria-prima no produto que você comercializa. Enquanto despesa designa gastos indiretos, como limpeza. É claro, quanto mais complexo o negócio, mais difícil fica de calcular o preço do produto ou serviço, mas essa fórmula já basta para pequenas empresas com orçamentos mais simples.


Dica 4 – Controle. Tudo.


Nada de papel e caneta. Para poder saber realmente a situação financeira da empresa a ponto de tomar decisões é necessário um acompanhamento meticuloso do fluxo de caixa com planilhas ou aplicativos que te ajudem a separar e organizar essas informações.



Dica 5 - Planejamento tributário


Antes mesmo de iniciar as operações as empresas escolhem o regime tributário mais vantajoso para se enquadrarem. Cuidado, uma escolha pode significar o pagamento de mais tributos do que o necessário.


Além disso, recolher todos os tributos sempre nas datas e proporções corretas é importante para evitar irregularidades fiscais, pois estas podem gerar multas alarmantes e até mesmo suspender as operações do negócio.


Dica 6 – Saiba dizer eu não sei


A penúltima, mas não menos importante dica, é baseada em algo que sabemos muito bem: as leis brasileiras não são reconhecidas por serem as melhores amigas dos empreendedores, principalmente os mais novos no mercado. São muitas informações, termos técnicos e, para piorar, as alterações acontecem constantemente, em função de diferentes fatores, o que exige muita atenção às eventuais novidades que podem mudar sua relação com o Fisco.


As consequências, como já mencionado, são sanções pesadas por parte do

governo. Portanto, é fundamental contratar profissionais conhecedores da área e capazes

de interpretar as leis adequadamente para garantir que a empresa esteja sempre em dia

com as exigências legais.


Dica 7 - Viabilidade Financeira


Estamos quase lá. Agora, com as informações da sua empresa organizadas, fica fácil analisar a viabilidade financeira do seu negócio. Para isso, analise com alguma periodicidade os seguintes pontos:

  • A situação da empresa no final do mês;

  • O giro dos produtos em estoque;

  • A possibilidade de investimento;

  • Identifique os custos mais pesados e procure soluções para reduzi-los ou aumentar o fluxo de caixa.

Pense na resposta de algumas dessas perguntas:

  • Ela está dando lucro?

  • Sobra dinheiro ao final do mês?

  • A quantidade de estoque está alta demais? Dá para reduzir algumas compras e gerar maior fluxo no caixa?

  • Sobra dinheiro para investimentos?

  • Os custos estão mais altos que deveriam?

Com perguntas como estas você verá a viabilidade financeira de sua empresa e poderá tomar as decisões necessárias para que o balanço de seu planejamento financeiro empresa de pequeno porte esteja sempre positivo ao final do mês.


Isso dará o que você precisa para tomar as decisões necessárias para manter as contas no positivo e te dar a tranquilidade de saber que está indo para o lugar certo.

E aí, empreendedor, curtiu?


Aproveita e já baixa esse artigo em formato de e-book complementar aos seus conhecimentos!


Baixar e-book!


31 visualizações