Agridados - Gestão para Rendimento

Da engenharia de produção, formação de Diego Florian Roberti, veio a afirmação de que para aumentar a eficiência, é preciso melhorar a gestão dos processos produtivos através do controle. Da programação, interesse de João Paulo Guex Falcão, também engenheiro de produção, a vontade de desenvolver um novo software. Do meio em que encontravam-se, a decisão de entrar no mercado de agritechs, e aumentar a penetração dos softwares de gestão.


O produtor precisa se pensar como uma empresa.

A Agridados veio, então, para facilitar ao produtor rural ter todos os controles da lavoura em um só lugar. É um software simples, porém completo, que dá o passo a passo ao agricultor para controlar tanto a parte operacional (de campo), quanto a financeira de sua propriedade. Para isso, basta ter um computador com acesso a internet.

Nele, o produtor irá inserir, primeiramente, o que faz na propriedade, as atividades agrícolas de campo (quais insumos, sementes, fertilizantes e defensivos aplica em cada área; o quanto usa de cada trator; qual foi o total colhido em cada área; etc); depois, faz a parte financeira, os gastos do negócio (quanto custou o adubo, as sementes, os pesticidas, etc). Após o lançamento desses dados, o agricultor os classifica. O programa, então, pega todos esses dados e calcula os custos, gerando relatórios por gráficos e tabelas, que fornecem ao produtor controles e indicadores para as tomadas de decisões visando o aumento da rentabilidade.


Via web, o contato com os clientes é direto, e a empresa aposta no onboarding, para o próprio cliente descobrir sozinho o software, com todo o suporte oferecido através do atendimento ao cliente e vídeo conferências online para direcionar suas dúvidas e necessidades. Mas, não se acanhe: toda essa tecnologia é extremamente intuitiva, de fácil uso, o que garante que tanto os mais jovens quanto os mais experientes produtores rurais tenham acesso a informação para aumentar sua eficiência.

Quando se faz um controle de gestão como esse, fica muito mais fácil realizar o manejo da propriedade rural: sabe-se onde foi gasto mais, onde pode-se investir mais, quais cultivares devem ser mantidas nas próximas safras, quais tratamentos deram certo e quais não, etc. Esses indicadores e análises são a chave para o aumento do rendimento de uma lavoura, muitas vezes sem ter que investir mais do que o dinheiro e o tempo que antes eram perdidos pela falta de organização.


Não se surge uma ideia. A ideia é construída, modificada, lapidada.

No final de 2015, a empresa começou a se formar: foram lançados alguns protótipos experimentais com funções operacionais, que evoluíram para a plataforma na web com o módulo financeiro, e serviram para entender as necessidades do produtor rural. Nesse mesmo período, o então cliente Tomás Sakis Scapin, observando o aumento de eficiência na gestão de sua propriedade rural com o uso do software,  tornou-se sócio da empresa. No início de 2017, a startup foi lançada com o software na web.

Engana-se quem pensa que o maior concorrente da startup são os outros softwares de gestão pelo mercado. A maior barreira no caminho da Agridados é que os produtores ainda não percebem a importância da gestão e os resultados que ela pode trazer. Transpor esse obstáculo significa ganhos para ambos os lados: a tecnologia conquista campo para sua atuação e desenvolvimento, enquanto o agricultor economiza tempo e dinheiro pela simples organização de seus dados.

Foi com esse pensamento que o software foi criado. No início, admite-se, o produto estava incompleto. Mas, contrariando a lógica, isso foi muito bom, uma vez que permitiu o desenvolvimento de um software mais condizente com as necessidades do produtor rural (Market fit), que achava a ferramenta boa antes, mas ainda não continha as soluções que o mesmo precisava.

Não precisa se assustar quando o cliente disser que não quer. Não diga que é o consumidor que não entende, pois ele quer uma solução, ele tá sedento por isso, mas ás vezes a tua ainda não é a ideal. Daí você desenvolve ela, agrega mais coisas e o produtor passa a querer.

Hoje, apenas um ano após o lançamento efetivo da empresa, a startup está presente em 9 estados brasileiros, abrangendo desde o pequeno produtor rural até grandes empresas agrícolas, através de parcerias com consultores, e estão abertos a novas oportunidades de colaborações.

O trabalho dentro da startup envolve profissionais de diversas competências: marketing, design, programação, vendas, entre outras; e, principalmente, gente que gosta do agronegócio. Novas vagas estão sendo ofertadas, diante da grande demanda por parte da quantidade de clientes, que vem aumentando, e dos projetos de expansão e desenvolvimento que os sócios pretendem acelerar.

Com um cliente bem definido, o produtor rural, a startup pretende expandir dentro desse nicho de agritechs e gestão de propriedades, adicionando novas funcionalidades a esse mesmo software, novas ferramentas para simplificar a inserção de dados, buscando facilitar os meios de administração que, a primeira vista, tendem a parecer difíceis.

Dicas para quem quer fazer o mesmo?

Senta e estuda. Vai atrás. Nós estamos numa época genial da história porque todo o conhecimento que tu quiser ter no mundo tu aprende, só tem que ir em busca dele. Mas mais do que isso, sente o mercado. O bom do empreendedorismo é que tu tá sempre batendo o mercado, descobrindo necessidades, descobrindo o que as pessoas precisam e querem, e a partir daí tu empreende encontrando as soluções.

15 visualizações